quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Uma Horta para Ser Feliz

O último livro que traduzi chama-se Uma Horta para Ser Feliz e ensina como se pode criar uma horta, urbana ou rural, qualquer que seja o espaço disponível. O grande objectivo do autor, Marc Estévez Casabosch, é levar as pessoas a voltarem a sintonizar com os ritmos da natureza. Ele, que se mudou com a família para o campo, onde produz tudo o que come, garante que é um caminho que o aproximou da felicidade.
O meu décimo livro traduzido foi o primeiro a ter direito a um evento de lançamento em Portugal. As traduções anteriores eram de autores americanos, ou do falecido Osho, pelo que era mais improvável trazerem-nos cá. Desta vez, a proximidade geográfica do autor (catalão) e a aposta da Arte Plural na sua promoção tornaram possível o evento.
Encurtámos um pouco as férias e lá fomos na quinta-feira passada (um livro sobre hortas só poderia ser lançado numa quinta!) à Cozinha Popular da Mouraria, um lugar muito cool, misto de integração social com hippie-chic, que nasceu da renovação daquele bairro. Tivemos direito a beberete orgânico, com um óptimo pão de azeite e refrescos à maneira! 
É inevitável sentir-me um pouco dentro da cabeça do autor enquanto traduzo um livro, por isso foi muito engraçado falar com o Marc. E também gostei de estar com a Joana, a editora que me vai distribuindo trabalho, com quem troco e-mails há 5 anos e só agora conheci ao vivo. Fiquei sobretudo contente pelo bom feedback do meu trabalho, porque traduzir é uma actividade que me dá muito gozo!
Enviar um comentário