domingo, 25 de agosto de 2013

Uma história renovada

Conhecemo-nos na escola, algures entre a primária e o sétimo ano. De companheiros de carteira a padrinhos de casamento uns dos outros, fomos um pouco de tudo. Durante vários anos, na segunda metade da adolescência, passámos juntos (e com a J.) uns dias de férias na aldeia, matrecos de dia e bailarico à noite. Mas desde os 20 que não tínhamos feito mais férias juntos - o dinheiro, a emigração, os filhos, o trabalho, sei lá... E eu até estou bastante com cada um, mas faltava-me estar com todos.
Este ano deixámo-nos de inércia, acertámos calendários e fomos passar uns dias ao Minho. Com a alegria extra de vermos brincar juntas as nossas 7 crianças - a MI com 1 ano, a Luisinha com 2, a I com 3, o T com 4, o J com 5, o R com 6 e o P com 7! Em vez do mero revivalismo dos bons velhos tempos (e do volume de cerveja), para mim o que sobressaiu foi essa descoberta grupal do que somos hoje, casados e pais, cada um ao seu estilo, face aos desafios que estas pequenas grandes criaturas nos põem.
Também me deram um gozo especial os finais de noite, com os infantes já deitados, em que nos pudemos dedicar, sob o alpendre, ao humor desbragado e à troca de desabafos. É bom manter vivo esse lado adolescente, e faz tão bem saber com quem contar...
Enviar um comentário