domingo, 21 de dezembro de 2014

No rescaldo do Tivoli

Há uma semana, participei na peça infantil da Casa das Cores. Durante dois meses andei absorvido entre ensaios, cenários e divulgação. Chegados ao glamour do Tivoli, estava um pouco assustado, porque muitos de nós éramos verdinhos nas artes do palco e podíamos bloquear na boca de cena. Felizmente correu tudo bem: o texto e as canções fluíram, as ilustrações da Vera - projectadas em directo como pano de fundo - funcionaram muito bem, e quem esteve gostou. Passado uma semana, a Luisinha continua a cantarolar o que por lá se ouviu.

Sempre soube que a representação não era um dos meus talentos, mas quando assistia a musicais - o meu género preferido - pensava como devia ser divertido estar do outro lado. E foi! Cantei em grupo na primeira cena, a encarnar um turista (podem ver neste link), e fiz de dançarino canastrão noutras duas músicas. E diverti-me muito! O ambiente que se criou entre a equipa foi excelente e deixa saudades. Também foi divertido conhecer os bastidores do Tivoli e os seus camarins. E comovedor sentir que, entre as 400 pessoas que se deram ao trabalho de ali estar num domingo de manhã, tive lá toda a família e os amigos mais próximos - obrigado!

Na véspera do teatro, fui com a Luisinha à Casa das Cores buscar uns adereços para usarmos na peça. Enquanto eu carregava o carro, ela entrou para a sala e foi ter com um grupo de meninas que brincava alegremente com bonecas. Reparei que lhe perguntaram logo o nome e partilharam as bonecas sem problemas. Passados 5 minutos, quando a apressei para voltarmos para casa, onde nos esperava um almoço com amigos, a Luísa fez birra porque não queria parar de brincar com as meninas. Ok, é verdade que ela faz muitas birras e que todas as crianças gostam de brincar. Mas não deixa de ser um óptimo sinal ela sentir-se bem entre as crianças da Casa das Cores e não querer sair daquele ambiente, onde as brincadeiras normais da idade convivem com um contexto de histórias de vida difíceis. É um orgulho trabalhar para que estas crianças possam ter o melhor presente e futuro possível!
Enviar um comentário