sexta-feira, 4 de julho de 2014

Outros Campeonatos

Faz hoje 10 anos que um golo do grego Charisteas deixou todo o País com um grande melão. Ou, se virmos pela positiva, faz 10 anos que Portugal alcançou a melhor classificação da sua história num Campeonato da Europa ou do Mundo.
Tive a sorte de trabalhar como motorista da UEFA no Euro 2004, o que me permitiu não só acumular algumas massas (estava a poucos meses de ir estudar para Londres), como também assistir aos 3 jogos de Portugal na fase a eliminar: nos quartos-de-final, quase morri do coração nos penalties contra a Inglaterra; nas meias-finais contra a Holanda, foi um espanto o fair-play dos adeptos laranja a festejar connosco; na final, a que assisti com o Chico, meu amigo açoriano, foi a tal desilusão, mas em todo o caso terá sido provavelmente a única final de uma competição destas que assistirei na vida.
Com o Chico (a minha máquina estava marada)
Dois anos passados, o Mundial de 2006 apanhou-me entre Londres e a Colômbia. Pus uma bandeira de Portugal por cima da minha secretária, no trabalho, e assisti aos jogos da fase de grupos em Stockwell, onde a comunidade portuguesa fazia parar o trânsito. Depois, numa viagem épica com a minha grupeta latina, vibrei com o Portugal - Inglaterra (novamente ganho nos penalties) em Medellin e sofri com a meia-final, perdida para a França, em Cartagena. Foi um Mundial de grandes memórias!
Com o Juan e o Roberto, em Medellin, no dia em que eliminámos a Inglaterra (01.07.2006)
Depois do Europeu de 2008 e do Mundial de 2010, sem grande história, veio o Europeu de 2012, na Polónia e Ucrânia. Logo no sorteio, reparei que os dois primeiros jogos de Portugal eram em Lviv, a cidade ucraniana onde morava o meu amigo Vitaliy. Desafiei dois amigos, o Edgar e o Carlos, e lá fomos nós! Assistimos à derrota contra a Alemanha e à vitória contra a Dinamarca. Encontrámos outros amigos por lá, falámos para a rádio e para a televisão, demos um passeio de carro por outras zonas da Ucrânia, visitámos Cracóvia e Auschwitz. Foi o máximo! Portugal foi até às meias-finais, que perdemos para a Espanha; assisti a este jogo no hospital, no dia em que fui operado ao dedo, logo a seguir ao acidente de mota.
No fim do Portugal - Dinamarca, em Lviv (13.06.2012)
Ainda fantasiámos sobre a hipótese de ir ao Brasil ver este Mundial, mas, dado o timing em que o Manel nasceu, a ideia nunca passou disso mesmo. E ainda bem! 
As baterias ficam agora apontadas ao Europeu de França, daqui a 2 anos...
Enviar um comentário