terça-feira, 5 de novembro de 2013

O Hunter é catita!

Todas as semanas ajudo a preparar um programa de rádio, o Lusofonias. É uma parceria entre a FEC e a Renascença, com transmissão na Rádio Sim e noutras 20 rádios espalhadas pelo mundo, sobretudo nos PALOP. A minha função e de outra colega, com quem alterno (semana sim, semana não), é escolher temas e convidados, escrever os guiões das entrevistas e recolher as peças que vão chegando dos vários países onde o programa passa. Embora a preparação de cada entrevista me alimente o bichinho do jornalismo, o que me dá mais gozo é acompanhar em estúdio a gravação da entrevista (eu não falo, só assisto) e contactar directamente com os convidados. Os poucos minutos de conversa off-the-record antes e depois de cada entrevista dão para tirar a pinta à personalidade dos convidados e saber mais sobre as suas instituições. 
Hoje gravámos a entrevista com o fundador da Re-food, o americano Hunter Halder. No início de 2011, começou a bater à porta de restaurantes das Avenidas Novas para recolher as sobras da comida confeccionada que não foi servida, para depois a distribuir pelas pessoas e famílias mais carenciadas da zona. Assim surgiu um projecto fortíssimo, por ter um conceito muito claro: combate o desperdício e mata a fome a quem está a passar por dificuldades, tudo com base no trabalho de centenas de voluntários. Até ao final de 2014, a Re-food conta ter núcleos em todas as freguesias de Lisboa (actualmente já existem 3). 
Parte do sucesso deve-se ao carisma do Hunter, que tem como imagem de marca o chapéu e a bicicleta com que vai para todo o lado. Num português com arreigado sotaque americano, que espero que se perceba razoavelmente em rádio, começa todas as frases por "well" e usa amiúde a palavra "catita", como quem diz "fixe". Queixa-se, a dada altura, que este projecto lhe "comeu" a vida pessoal e que o próximo ano vai ser ainda mais cansativo, mas mantém-se firme no objectivo de tornar Lisboa na primeira cidade do mundo a eliminar o desperdício alimentar.
Uma entrevista para ouvir no próximo sábado, às 14h, na Rádio Sim.
Enviar um comentário